Condromalácia patelar: causas, sintomas e tratamentos

A condromalácia ou condropatia patelar, também conhecida como síndrome da dor patelo-femoral, é um desgaste da cartilagem da patela – osso que fica bem na frente do joelho também chamado de “rótula”. A palavra deriva do latim “chondros” (cartilagem) e malacea (amolecimento), portanto é caracterizada pelo amolecimento desta cartilagem.

A cartilagem da patela é muito utilizada em movimentos de subir e descer escadas e agachar. Quando há o amolecimento desta estrutura, ela perde sua principal função que é de de absorver as forças as quais é submetida, o que causa dor.

Gravidade da doença

A condromalácia patelar pode ser  dividida em quatro níveis, de acordo com a gravidade do comprometimento da patela, que vai desde apenas o amolecimento da cartilagem até condições mais graves que resultam na exposição do osso subcondral. 

Caso não tratado, o problema pode evoluir de tal forma a limitar os movimentos do joelho paciente, por isso a consulta com o médico ortopedista assim que os sintomas iniciam é fundamental.

Sintomas

A condromalácia patelar é uma doença de evolução lenta e progressiva. Por isso, normalmente ela inicia como um leve desconforto na parte anterior do joelho que aumenta durante atividades de impacto como correr, pular ou subir e descer escadas ou após ficar com o joelho dobrado por muito tempo.

Os principais sintomas da doença incluem crises de dor ou desconforto constante no local na parte da frente do joelho, além de inchaço, estalos e aumento da sensibilidade em dias frios. 

Conforme explica o médico ortopedista Bruno Pavei, quando a doença está evoluindo os pacientes começam a sentir um bloqueio articular e uma sensação muito desconfortável de atrito que, com o passar do tempo, dificultam os movimentos.

Causas

Existem diversas causas que levam ao desgaste da cartilagem da patela. O envelhecimento, por exemplo, é um dos fatores mais comuns já que com os anos há um amolecimento natural dessa estrutura. 

“As causas da condromalácia são muito variadas, entre elas podemos citar o sedentarismo que leva a uma instabilidade muscular, o excesso de atividade física que gera algum tipo de atrito, alterações anatômicas, frouxidão ligamentar, traumas e até a própria genética podem desencadear o problema”, explica o médico Ortopedista Dr. Bruno Pavei.

Traumas crônicos ocasionados por fricção e impacto decorrentes de esportes como vôlei, tênis, corrida, basquete, futebol ou até pela prática de atividades físicas sem orientação profissional, além de alterações de alinhamento da patela (hipertrofias, hipotrofias, encurtamentos musculares, etc) são alguns dos fatores de desenvolvimento do amolecimento da cartilagem.

Além disso, as mulheres são as que mais sofrem com a doença devido à resposta muscular que costuma ser menor em pacientes do sexo feminino e que se agrava com a queda dos níveis de estrogênio. O uso prolongado de sapatos de salto alto também é um fator preponderante para o desenvolvimento da condromalácia patelar. 

Tratamentos

Conforme explica o Dr. Bruno Pavei, o tratamento para a condromalácia patelar basicamente se resume na realização de exercícios para promover o reforço muscular, sobretudo alongamento posterior e anterior do joelho. 

Segundo o especialista, o tratamento cirúrgico costuma ser bem raro nessa situação, sendo uma opção apenas para pacientes apresenta um agravamento da condropatia mesmo com a realização dos exercícios de reforço. Para estes casos existem algumas opções, como inserção de membrana de colágeno, transplante osteocondral ou microperfurações. 

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Localização

Atendimento e contatos

Osteoclínica
Consultório em Içara