Lesões do Joelho no Esporte

É importante praticar atividade física e ser uma pessoa ativa. Porém, mais importante ainda é fazer isso com auxilio de profissionais que orientam a forma adequada de executar. Porém alguns esportes podem causar mais facilmente lesões do joelho, por exemplo, o futebol. Este é o primeiro no ranking dos esportes que mais causam lesão no Brasil:

  • Futebol (55%)
  • Artes marciais (16%)
  • Basquete (12%)
  • Treino na academia (8%)
  • Tênis (5%)
  • Outros (4%)

Sabemos que o joelho é a articulação responsável pelos dribles, pelas mudanças de direção e é um alvo frequente das mais diversas lesões agudas e crônicas.

Principais lesões esportivas do joelho

Ruptura do ligamento cruzado anterior (LCA)

O ligamento cruzado anterior tem função especial na estabilidade do joelho e é, portanto, dos ligamentos com indicação cirúrgica, aquele que mais rompe. Por isso essa é uma lesão é tão temida entre os atletas.

Lesão meniscal

Os meniscos tem função de absorção de carga e estabilidade no joelho. Porém podem ser lesados durante atividades que provoquem algum tipo de entorse ou excesso de flexão do joelho. As lesões tem uma alta taxa de indicação cirúrgica em pacientes com menos de 45 anos.

Síndrome do corredor

Entre os principais sintomas dessa lesão estão dor e queimação na região lateral do fêmur. Essa lesão consiste em uma inflamação na região lateral da coxa. A fisioterapia geralmente é o tratamento recomendado para esse trauma. Porque isso fará diminuir as dores e melhorar os desequilíbrios musculares. O retorno para prática esportiva é progressivo e na maioria dos casos não é preciso fazer a cirurgia do joelho.

Tendinite patelar

A tendinite patelar pode ser causada por atividades no esporte que envolve saltos e desacelerações bruscas. É uma das lesões mais comuns em atletas. Mas o tratamento conservador (sem cirurgia) pode ser o suficiente na maioria dos casos. Podemos incluir no tratamento da lesão a medicação para dor, repouso de acordo com a dor e fisioterapia.

Fratura por estresse

Essa lesão é causada pela sobrecarga óssea, ou seja, quando o paciente passa dos limites fisiológicos. Normalmente o tratamento é repouso. Se a fratura for muito grave, o médico pode indicar cirurgia do joelho. A recuperação leva em torno de 6 meses e a fisioterapia é essencial. Para prevenir essas lesões, é preciso trabalhar o equilíbrio, a consciência corporal e a resistência. Isso evitará entorses e traumas nos joelhos.

História da corrida

A história da corrida é muito antiga, vem lá da pré-história, onde o objetivo era caçar ou fugir. O momento que ela se transformou em modalidade esportiva não é conhecido. Mas em 1986 (Atenas), na primeira Olimpíadas da era moderna, a maratona e seus 42km já estavam presentes.

A popularização da corrida veio a partir de 1970 e o perfil dos corredores mudou bastante desta época até hoje. De uma população masculina (75%) com propósito competitivo, para uma população levemente feminina (54%) com objetivo recreativo.

Com um maior número de praticantes vieram as estatísticas das lesões. Hoje sabemos que a corrida está associada a 20-79% de lesões em corredores profissionais e recreativos. Enfim, os motivos são diversos e incluem: tipo de calçado, material do calçado, superfície onde é realizado a corrida, técnica de corrida, distância e frequência na atividade. Se seguirmos a história da corrida e fizermos um paralelo com o tipo de calçado iremos desde uma corrida descalço, para um calçado muito semelhante a um sapato masculino no ano de 1912, até os tênis atuais.

Posso correr descalço?

Sabendo que o ser humano correu muito tempo descalço fez surgir atualmente diversos artigos científicos. Estes relacionam o número de lesões quando usando algum tênis específico ou correndo descalço. Definitivamente o número de lesões não é tão diferente, sendo algumas vezes até menor. Alguns autores estão até dizendo que se tal pessoa corre descalça e não tem lesão, de acordo com eles não existe motivo para correr com um tênis, e vice-versa. Porém eu não recomendo muito!!

Tipos de Tênis

Quando falamos nos tênis atuais vimos 3 tipos mais comuns. O primeiro são aqueles grandes, portanto com bastante amortecimento e acolchoados. O segundo são aqueles com tendências minimalista (flats), com pouco amortecimento e solado mais rígido, e um terceiro, mais recente, com muito amortecimento (máximo). Quando analisamos os artigos científicos ficamos com um leve direcionamento para o primeiro tipo, portanto os grandes. Porque parece causar menos lesões, porém as diferenças nem sempre são significativas.

Tipo de Pisada

Outro fato muito comum quando se pensa em comprar um tênis de corrida é o tipo de pisada que ele possui.
Historicamente indivíduos com uma alta quantidade de pronação foram direcionados a um sapato de controle de movimento (motion control). Aqueles com uma quantidade moderada de pronação foram direcionados a um sapato de estabilidade (stability). Já aqueles com uma quantidade mínima de pronação foram direcionados para um sapato neutro (neutral). No entanto existem artigos atuais mostrando que o tipo de pisada e o calçado usado não aumentam ou diminuem o número de lesões.

Esse estudo foi muito importante: um estudo interessante de Muendermann et al. contém informações que parecem importantes para a compreensão da causa da lesão e sua relação com o calçado. Pegaram 212 soldados e dividiram em dois grupos de 106 cada. Estes grupos realizaram o mesmo treinamento militar por 4 meses. Porém apenas um grupo pode escolher entre 6 tipos de palmilhas diferentes. Diferentes em relação ao arco, formato do calcanhar, material e elasticidade). O fator de escolha foi CONFORTO. Após este período verificaram que o grupo que usou a palmilha que julgou ser mais confortável teve 53% menos lesões em relação ao grupo sem palmilhas.

Enfim, este estudo faz um bom resumo da relação calçado e lesão, um assunto que mesmo sendo estudado há mais de 40 anos segue ainda sem definição do que é melhor. Então, o que todo corredor deve saber é que os motivos para ter uma lesão são diversos e vale repetir: tipo de calçado, material do calçado, superfície onde é realizado a corrida, técnica de corrida, distância e frequência na atividade. E como toda atividade física deve ter uma progressão lenta e com acompanhamento profissional. E quer saber qual calçado comprar? Fique com aquele mais confortável durante a corrida e se precisar procure um médico especialista.

Quando Devo Procurar um Ortopedista Especializado em Joelho?

O Joelho é uma articulação, que tem como função absorver a energia cinética gerada pelo contato dos membros inferiores ao solo e conduzir o movimento aos outros seguimentos do corpo.
A partir dos anos 80, o joelho passou a ter destaque na traumatologia devido à grande incidência de lesões decorrentes.

O Joelho é a Articulação que Mais Sofre?

Novos estudos de biomecânica mostraram que essa é a articulação do corpo humano que mais trabalha próximo aos seus limites fisiológicos. Portanto, essas lesões não acontecem apenas em quem pratica esporte. É certo que as atividades repetitivas da vida diária também podem comprometer a articulação, como subir e descer escadas, andar, agachar-se. O Joelho pode dar alguns sinais de alerta quando não está tudo indo bem. Portanto é importante estar atento a esses sinais. Porque eles indicam que está na hora de procurar um médico ortopedista especialista em joelho para ver o que está acontecendo.

Os sinais de alerta são:

  • Dor;
  • Joelho inchado;
  • Estalos;
  • Falseio – sensação de que o joelho sai lugar.

Atenção! Não é normal o joelho doer. Também não é normal que ele inche, faça barulhos ou “saia do lugar”. Por conseguinte, é importante identificar cedo o problema. Porque muitas patologias do joelho, quando são diagnosticadas no início, podem ser acompanhadas e tratadas para evitar a progressão e o desenvolvimento de quadros mais graves. Porque podem originar grandes transtornos para o paciente no futuro.

Prevenir as Lesões do Joelho!

Outro fato importante é a prevenção! Prevenir problemas nos joelhos é essencial para a manutenção de uma boa qualidade de vida. São várias as causas que podem desencadear dor no joelho. Fatores extrínsecos incluem o treino inadequado, em geral sem o acompanhamento de um instrutor. Então o paciente acaba praticando o esporte ou musculação de forma errada, excesso de treino, treino acima do preparo físico ou intensificação abrupta do mesmo.

Os fatores intrínsecos e extrínsecos juntos contribuem para que haja perda da capacidade de absorção e dissipação de energia, gerando as chamadas lesões por sobrecarga. Para prevenir e tratar o joelho, é importante buscar o acompanhamento com o médico ortopedista especialista em joelho.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Localização

Atendimento e contatos

Osteoclínica
Consultório em Içara