Lesões meniscais: sintomas, diagnóstico e tratamento.

Os meniscos são estruturas fibrocartilaginosas que ficam entre a tíbia e o fêmur dentro da articulação do joelho. São dois, o menisco medial e o menisco lateral. Eles são conhecidos como os “amortecedores” do joelho, mas também possuem outras importantes funções: estabilidade, lubrificação e congruência articular.

As lesões meniscais podem ocorrer em todas as idades e dependendo do tipo ou combinação de fatores pode ou não ter tratamento cirúgico!

Que tal saber tudo de lesão meniscal? Só ler abaixo:

O que são os meniscos?

Os meniscos são estruturas fibrocartilaginosas que ficam entre a tíbia e o fêmur dentro da articulação do joelho. São dois, o menisco medial e o menisco lateral.

Eles são conhecidos como os “amortecedores” do joelho, mas também possuem outras importantes funções: estabilidade, lubrificação e congruência articular.

Quem pode ter uma lesão do menisco?

Lesões meniscais ocorrem independente da faixa etária. Os jovens apresentam mais lesões relacionadas ao esporte, por trauma direto ou entorse de joelho. Pessoas acima de 45-50 anos também podem ter lesões relacionadas ao esporte. A partir desta faixa etária as lesões degenerativas, aquelas associadas com artrose do joelho, estão mais presentes.

Quais os sintomas?

Os sintomas principais são dor e edema do joelho, comuns em várias patologias desta articulação. Ocasionalmente a lesão pode causar bloqueio articular, que é a dificuldade de estender ou fletir o joelho.

Anatomia:

É importante saber que os meniscos são estruturas mal vascularizadas, apenas 10 a 30% da estrutura recebe sangue, o restante é nutrido por conta do contato com o líquido sinovial do joelho. Mas o que isto significa? Que o menisco tem muita dificuldade de cicatrizar. Com esta informação você vai entender porque não suturamos (“costuramos”) todos os meniscos lesados.

Meniscos vistos de cima

Como se descobre uma lesão meniscal?

Nem sempre os sintomas meniscais são claros, então a avaliação com um Ortopedista ou um Cirurgião do Joelho são importantes para este diagnóstico. Geralmente um exame de RX e uma Ressonância Magnética serão solicitados para avaliar melhor os meniscos e ver se não existe nenhuma lesão associada – os ligamentos ocasionalmente rompem junto às lesões meniscais.

Mas o tratamento é sempre cirúrgico?

Não! Primeiro é bom reconhecer que pelo menos 20% das lesões nos meniscos são assintomáticas, ou seja, não causam dor. Este dado é ainda maior em pacientes idosos. Então o primeiro fator para iniciar o tratamento é o fato de ter sintomas meniscais.

O tratamento não cirúrgico se baseia em fisioterapia e está indicado para lesões pequenas e estáveis ou lesões de caráter degenerativo.

O tratamento cirúrgico fica indicado para as lesões nos pacientes mais jovens que são instáveis/grandes e onde o tratamento não cirúrgico não funcionou.

Qual a cirurgia realizada?

Atualmente as cirurgias são feitas por videoartroscopias, com incisões muito pequenas. De acordo com o tipo de lesão será optado por meniscectomia, que é a retirada de parte do menisco lesado, ou será optado pela sutura da lesão. Devemos lembrar que nem todas as lesões são passíveis de serem suturadas por conta da mal vascularização dos meniscos.

Como é feito a sutura do menisco?

A sutura é feita com instrumentos modernos, onde a parte lesada é reposicionada por meio de fios de sutura. Ocasionalmente novas incisões na parte de dentro ou de fora do joelho serão feitas para pode amarrar estes fios.

A taxa de falhas nestes procedimentos estão em torno de 25%, que são pacientes que vão necessitar de um novo procedimento cirúrgico, onde será feito a retirada da lesão que não cicatrizou (meniscectomia).

Outra parte mais complicada da sutura meniscal é a reabilitação, que é um pouco mais dolorida e mais lenta quando comparada a meniscectomia.

Por que fazem sutura se ela falha mais e a reabilitação é pior?

Fizemos isso porque o menisco tem aquelas funções faladas inicialmente, proteção e estabilidade da articulação. Retirar o menisco aumenta o risco de artrose para uma idade mais precoce, então mesmo sendo mais difícil sempre devemos tentar SALVAR os meniscos.

Ouvi falar de transplante meniscal, isso existe?

Existe sim! Assim como outros transplantes o paciente recebe o tecido de um doador. Neste caso não existe a necessidade daqueles medicamentos diários, nem uma seleção específica, basta serem de tamanhos compatíveis. Porém o transplante ainda é novidade no mundo da ortopedia, sendo uma raridade aqui no Brasil até o momento. Mas no futuro ele será utilizado aqui, certamente!

Meniscectomia Artroscópica

Com uma recuperação rápida e quase indolor, esta técnica permite, apenas através de duas pequenas incisões de 5 mm cada, retirar apenas a porção do menisco que rompeu. Porém sua indicação deve ser reservada para aqueles casos onde a sutura meniscal não é possível.

Sutura Meniscal Artroscópica

Essa técnica permite conservar todo o menisco. Isso traz benefícios futuros, pois previne eventuais alterações degenerativas do joelho. A sutura meniscal artroscópica tem algumas limitações por conta da má vascularização meniscal, sendo indicada para aquelas lesões mais próximas a cápsula, não degenerativas, pequenas, entre outras. Essa técnica exige um período de recuperação maior do que o necessário após uma meniscectomia.

A cirurgia, quando necessária, é realizada por via artroscópica sob anestesia e, muitas vezes, permitindo que o paciente receba alta no mesmo dia.

Quer saber ainda mais? Dê uma olhada nesse vídeo:

Lesão do LCA

Sabia que muitas lesões meniscais vem acompanhada de lesão do ligamento cruzado anterior, o LCA?

Quer saber um pouco mais sobre ele? Clique aqui

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Localização

Atendimento e contatos

Osteoclínica
Consultório em Içara