O que você precisa saber sobre ruptura do ligamento cruzado anterior

A ruptura do ligamento cruzado anterior é uma das lesões de joelho mais comuns. Atletas, profissionais ou amadores, que praticam esportes como futebol, vôlei, basquete ou outros que tenham alta demanda física têm grandes chances de romper o LCA, como também é chamado.

No futebol, grandes nomes como Daniel Alves já passaram por essa situação, mesmo tendo excelentes preparadores físicos. Ou seja, é fácil perceber que ninguém está 100% seguro de que não irá romper este ligamento.

 

Mas por que o ligamento cruzado anterior rompe?

O joelho é uma articulação formada pelo encontro de três ossos: fêmur (osso da coxa), tíbia (osso frontal da parte inferior da perna) e patela (a rótula). Estes ossos são conectados através de ligamentos, sendo quatro os principais: dois laterais, o cruzado posterior e o anterior.

Os cruzados formam um “X”, ficando o anterior na frente e o posterior, atrás. O LCA cruza o centro do joelho, impedindo que a tíbia se desloque para frente do fêmur e garantindo os movimentos rotacionais do joelho.

A forma mais comum de ocorrer um “estiramento”, como também é conhecido, é, durante uma prática esportiva, quando o corpo gira e o pé permanece fixo no chão. Mas pode acontecer em diversas ações como parar bruscamente, em uma mudança rápida de direção ou ao voltar de um salto de maneira instável.  


Como evitar a ruptura do ligamento cruzado anterior

Como citado acima, ninguém está totalmente prevenido de sofrer o rompimento, mas há maneira de reduzir a probabilidade de danos. Confira algumas delas:

  • Uso de calçado adequado para a prática esportiva. Exemplo: se for futebol, optar por chuteiras que permitam movimentos, mas com segurança e estabilidade. 
  • Reforço muscular: fazer atividades físicas  como musculação  que condicione a  musculatura da coxa, perna e do próprio joelho. 
  •  Alongamento: melhorar a flexibilidade e relaxar os músculos evita, não apenas ruptura deste ligamento, mas diversos tipos de lesão. 
  • Acompanhamento profissional: sempre que possível, conte com um educador físico e frequente um médico.

 

Tipos de tratamento

Existem algumas formas de tratar o ligamento rompido. Tudo vai depender da idade, condições físicas, se pratica esportes ou não.

  • Tratamento não-cirúrgico ou “conservador”: nos casos em que não é necessária a cirurgia, a base do tratamento é fisioterapia e reforço dos grupos musculares.
  • Tratamento cirúrgico: o ortopedista especializado em cirurgia do joelho realiza o procedimento, que hoje possui técnicas pouco invasivas. Após, o paciente deve se submeter a um programa de reabilitação.

Além do tratamento, os cuidados após a ruptura são essenciais. O médico irá  aconselhar de acordo com a rotina de cada um. 

 

Sobre o Dr. Bruno Pavei

O Dr. Bruno Pavei formou-se em Medicina pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), em Criciúma/SC. Fez residência em Ortopedia e Traumatologia pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e completou sua formação em Cirurgia do Joelho no Instituto Cohen, em São Paulo/SP.
É membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho (SBCJ). Atualmente possui consultório de Ortopedia e Traumatologia na Osteoclínica, em Criciúma-SC, conhecido como o maior centro de Ortopedia e Traumatologia do sul de Santa Catarina e faz parte do corpo clínico dos principais hospitais da região. Saiba mais clicando aqui.

 

As informações disponíveis neste site possuem apenas caráter educativo. Apenas uma avaliação com um profissional médico possibilitará o diagnóstico de doenças, a indicação de tratamentos e a prescrição de medicamentos.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Localização

Atendimento e contatos

Osteoclínica
Consultório em Içara