Overtraining: entenda os riscos

overtraining

O esporte ajuda corpo e mente sempre que possível. Este é um consenso entre especialistas, amadores e praticantes. Mas você conhece a síndrome de overtraining? Assim como tudo na vida, o excesso da prática esportiva também não faz bem.

Overtraining é quando o atleta faz mais exercícios do que seu corpo é capaz de recuperar. Acontece geralmente quando se tenta melhorar o desempenho em treinamentos, principalmente em corrida. Os corredores exageram no volume da atividade física sem o descanso adequado, além da adoção de dietas irregulares. Isso prejudica músculos, articulações, sistema imunológico e até no aspecto psicológico do paciente.

Claro que todos querem desempenhar seu melhor resultado, porém, a estratégia de treino de “supercompensação” é extremamente prejudicial, pois se fundamenta no princípio da sobrecarga progressiva. Além dos problemas em treinos, o overtraining pode prejudicar a qualidade de saúde do seu corpo, por isso, fique atento aos sinais: preguiça, cansaço e exaustão são grandes indícios de que seu organismo pode estar sobrecarregado.

A lista de problemas progressivos conforme o excesso de treino são muitos, entre eles:

  • Dor muscular persistente;
  • Perda de condicionamento físico;
  • Diminuição da força e resistência;
  • Fadiga crônica;
  • Mudanças de humor, incluindo depressão e irritabilidade;
  • Prejuízo ao sono;
  • Queda da imunidade.

Além disso, são identificados em pacientes elevação do nível do cortisol e déficit protéico, também com presença de distúrbios hormonais. O tempo do organismo se regenerar também se torna insuficiente para reparar os traumas no músculo esquelético, causando dores constantes.

 

Sem dor, sem ganho?

Bom, a frase “no pain, no gain” não é exatamente correta quando se trata de exercícios físicos. As dores e desconfortos só cessam com a redução do treino, e inclusive, em alguns casos, com a interrupção das atividades. Por isso, o acompanhamento do médico é essencial, além de profissional de educação física, fisioterapeuta e nutricionista. Conte com uma equipe completa para reverter o overposting, que pode trazer consequências hormonais mais sérias.

Portanto, contar com uma rede de apoio especializada ajuda no combate ao Overtraining, porém, você mesmo pode identificar os sinais – a extrapolação dos limites físicos e ausência de descanso – e buscar fontes de energia e alimentações adequadas, confira as dicas:

  • Alimentação equilibrada: muita hidratação, ingestão de todos os grupos alimentares;
  • Consumo de frutas, verduras e legumes, com fontes de vitaminas e minerais, além de ajudar na produção de defesas antioxidantes/
  • Carboidratos, sim: o metabolismo de carboidratos é crucial para suprir a energia de quem pratica esportes, ´principalmente em exercícios de alta intensidade;
  • Proteínas para repor glicogênio nos músculos e fígado;
  • Suplementos nutrientes e alimentares: somente com indicação médica, fique atento!

Cuide do seu corpo mas observe seus sinais. Treinar é bom e faz bem, mas o excesso pode acabar tendo efeito contrário. Consulte um especialista e preserve seu bem-estar!

 

Sobre o Dr. Bruno Pavei

O Dr. Bruno Pavei formou-se em Medicina pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), em Criciúma/SC. Fez residência em Ortopedia e Traumatologia pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e completou sua formação em Cirurgia do Joelho no Instituto Cohen, em São Paulo/SP.
É membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho (SBCJ). Atualmente possui consultório de Ortopedia e Traumatologia na Osteoclínica, em Criciúma-SC, conhecido como o maior centro de Ortopedia e Traumatologia do sul de Santa Catarina e faz parte do corpo clínico dos principais hospitais da região. Saiba mais clicando aqui.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Localização

Atendimento e contatos

Osteoclínica
Consultório em Içara