Ruptura de menisco: como é a cirurgia para tratar a lesão

Apesar de ser uma das estruturas mais importantes do joelho, o menisco também é a causa mais comum de dores no local em pacientes. Não existe uma idade ou atividade específica que cause o desgaste, porém, idosos e atletas correm mais risco de sofrerem lesões nesta região. Mesmo assim, a ocorrência pode ser advinda de dois tipos: as lesões traumáticas ou degenerativas.

Enquanto as lesões traumáticas estão mais ligadas às atividades físicas, ao esforço repetitivo ou algum trauma torcional, as lesões degenerativas são mais comuns em idosos, por conta do desgaste do menisco ao longo da vida. No caso das lesões traumáticas, a cirurgia geralmente é o tratamento indicado. Vamos entender como funciona?

Cirurgia do Menisco

A cirurgia mais indicada na maioria das lesões e traumas é a cirurgia artroscópica, que faz a ressecção da lesão (meniscectomia) ou a sutura do menisco. Muitas dúvidas existem sobre as cirurgias e sua recuperação. Porém, o seu médico especialista vai definir a melhor abordagem no caso do tratamento artroscópico.

A Meniscectomia é hoje uma técnica que evoluiu. Aquele receio de fazer cirurgia no joelho e ficar com dores e sofrer com os efeitos colaterais hoje em dia foi substituído por novas técnicas. É que antigamente os pacientes que faziam o procedimento tinham o menisco todo retirado, o que causava graus severos de artroses, precisando inclusive de próteses em função do desgaste do joelho. Hoje em dia a cirurgia com a artroscopia remove o mínimo possível do menisco, apenas na região lesionada, o que garante o bom funcionamento da articulação.

Já na Sutura Meniscal, a técnica tem o objetivo de preservar a integridade do menisco, reinserindo na sua localização correta, o que preserva a anatomia normal e todas as funções no joelho a longo prazo.

É essencial que se considere o tipo de lesão para o procedimento cirúrgico, além da idade do paciente e há quanto tempo o menisco está lesionado. 

Como é a cirurgia?

A técnica é realizada com duas pequenas incisões e retira apenas a porção rompida do menisco, com uma recuperação rápida e quase indolor. O objetivo é preservar a maior parte do menisco.

A Meniscectomia é considerada uma cirurgia simples, via artroscopia. Um fluido é injetado dentro do joelho para expandir a articulação.

É indicada em casos onde não conseguimos salvar todo o menisco, por isso, retiramos o pedaço lesionado e mantemos a parte que não precisa de tratamento.

A recuperação é mais rápida, com o paciente podendo caminhar logo após o procedimento, porém, recomendamos a volta às atividades físicas em torno de um a dois meses após a cirurgia. Após a Meniscectomia o paciente deve usar muletas por poucos dias, além de manter a perna elevada, usando compressas de gelo e ataduras por curtos períodos.

Como é a Sutura Artroscópica?

Com esse procedimento é possível conservar todo o menisco, porém tem limitações por conta da má vascularização meniscal, sendo indicada para aquelas lesões mais próximas à cápsula, não degenerativas. O período de recuperação é maior, porém, é possível receber alta após o procedimento no mesmo dia. 

A cirurgia é recomendada em casos de lesões mediais ou laterais, suturando uma lesão do menisco para cicatrizar. É geralmente indicada em pacientes com menos de 40 anos com lesões extensas e recentes.

A recuperação é de acordo com cada caso, porém é recomendado a utilização de gelo na região no pós-cirúrgico, evitar apoiar o pé no chão nos primeiros dias e fisioterapia logo após o procedimento para recuperar a completa funcionalidade permitida. Assim, você recupera sua força muscular, a flexibilidade, equilíbrio e coordenação. 

Apesar do processo de reabilitação ser mais lento que no caso da Meniscectomia parcial, em até 120 dias, com os tratamentos adequados, é possível retornar às práticas esportivas e atividades de maior esforço. 

Está em dúvida sobre o procedimento mais adequado ao seu caso? Agende uma consulta e vamos analisar seu menisco de acordo com seu histórico, lesão e possibilidades.

 

Sobre o Dr. Bruno Pavei

O Dr. Bruno Pavei formou-se em Medicina pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), em Criciúma/SC. Fez residência em Ortopedia e Traumatologia pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e completou sua formação em Cirurgia do Joelho no Instituto Cohen, em São Paulo/SP.
É membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho (SBCJ). Atualmente possui consultório de Ortopedia e Traumatologia na Osteoclínica, em Criciúma-SC, conhecido como o maior centro de Ortopedia e Traumatologia do sul de Santa Catarina e faz parte do corpo clínico dos principais hospitais da região. Saiba mais clicando aqui.

 

As informações disponíveis neste site possuem apenas caráter educativo. Apenas uma avaliação com um profissional médico possibilitará o diagnóstico de doenças, a indicação de tratamentos e a prescrição de medicamentos.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Localização

Atendimento e contatos

Osteoclínica
Consultório em Içara